Esperamos o seu contato.

Fale com a gente.

Entre em contato, através do correio eletrônico. É fácil e rápido, preencha o formulário a aguarde o nosso retorno.

Manual de Instalação

1. ESCOLHENDO O LOCAL

O ideal é que sua piscina fique a maior parte do dia exposta ao sol. atente para as construções que podem ser feitas posteriormente como quiosques e salões de festas.

2. DEFINIÇÃO DO NÍVEL DA PISCINA

É melhor que sua piscina fique em uma posição mais elevada em relação ao terreno, além de valorizá-la, isso impede que folhas e poeira acabem dentro da piscina. O limpador agradece. Infelizmente, se a área destinada a piscina for pequena será melhor deixá-la no mesmo nível de todo o terreno, isso porque degraus tiram espaço para móveis, como espreguiçadeiras, mesas e cadeiras, por exemplo.

No caso de terrenos desnivelados deve ser feito um corte no terreno, na parte mais elevada, e muro de contenção, rente a parede da piscina, na parte mais baixa. Consulte um engenheiro para cálculo estrutural do muro, levando em conta, o modelo da piscina e as características do terreno. Veja mais sobre muro de contensão no item reaterro.

Piscinas de coberturas, sobre lajes, ou, instaladas acima do solo, devem ser revestidas por um muro de contenção. No caso de piscinas compactas (até 5m de comprimento), pode-se optar por fabricá-las autoportante, ou seja, tão reforçadas que não necessitam de nenhuma estrutura auxiliar para instalação, isso aumenta o preço do tanque, mas, dispensa muros. Para Piscinas instaladas sobre lajes, sacadas coberturas, etc., é importantíssimo consultar o engenheiro responsável pela construção da edificação, para ter certeza que sua estrutura comporta o peso da piscina.

3. MARCAÇÃO

Tire o esquadro e marque com estacas o local da escavação tendo o cuidado de deixar a medida exata, de borda a borda, quanto menos espaço ficar entre a parede da piscina e a parede do buraco melhor.

4. ESCAVAÇÃO

Neste processo é importante lembrar do piso que vai ser instalado posteriormente, lembre-se que a piscina deve ser o ponto mais alto do terreno para que folhas, pó e água da chuva não escoem para dentro da piscina. Veja mais no tópico calçada.

 

Quando o buraco estiver quase na profundidade desejada é hora de instalar as estacas de nível e a linha de nível.

 

A escavação deve ser feita de acordo com o formato da piscina. Escadas e bancos devem ser previstos, nesses locais, deve-se deixar uma rampa.

5. PREPARANDO A BASE

O buraco deve ser nivelado com uma fina camada de areia peneirada, para que nenhuma pedra fique em contato com o fundo da piscina, o que certamente, causaria rachaduras no tanque.

ATENÇÃO:

Caso o terreno seja úmido, é recomendável uma base de concreto antes da camada de areia. Se, o terreno for muito úmido a base de concreto é fundamental, nesse caso, vale a pena consultar um engenheiro para maiores orientações.

6. INSTALANDO DISPOSITIVOS

Tire o esquadro e marque com estacas o local da escavação tendo o cuidado de deixar a medida exata, de borda a borda, quanto menos espaço ficar entre a parede da piscina e a parede do buraco melhor.

Sugerimos que dispositivos de dreno de fundo e aspiração não sejam instalados. Recomendamos a utilização de coadeira aspirador (aspiração aberta) e dispositivos de retorno. Além de diminuir o risco de vazamentos aumenta a segurança dos usuários, principalmente crianças.

 

Os dispositivos de retorno devem ser instalados em uma das extremidades da piscina, de modo a ficarem igualmente afastados das laterais, a 20cm da borda. A coadeira deve ficar na extremidade oposta, ou, se na lateral, o mais distante possível dos retornos e a 5 cm da borda.

7. POSICIONANDO A PISCINA

Centralize a piscina no buraco, confira se o nível está correto, abasteça com 30 ou 40 cm de água até que o fundo assente totalmente.

8. REATERRO

O espaço, entre o buraco e a parede da piscina, deve ser preenchido, por baixo da borda, com uma mistura seca, de areia e cimento, na proporção de sete partes de areia grossa, por uma de cimento. O reaterro deve acompanhar o nível da água, com uma diferença de no máximo 20 cm, ou seja, a medida que a piscina enche, deve ser aterrada, isso evita que a mistura de areia e cimento pressione as paredes da piscina para dentro, ao mesmo tempo que impede a água de pressionar as paredes para fora, conforme ilustração abaixo.

O espaço, entre o buraco e a parede da piscina, deve ser preenchido, por baixo da borda, com uma mistura seca, de areia e cimento, na proporção de sete partes de areia grossa, por uma de cimento. O reaterro deve acompanhar o nível da água, com uma diferença de no máximo 20 cm, ou seja, a medida que a piscina enche, deve ser aterrada, isso evita que a mistura de areia e cimento pressione as paredes da piscina para dentro, ao mesmo tempo que impede a água de pressionar as paredes para fora, conforme ilustração abaixo.

Para piscinas instaladas com muro de contenção, depois da piscina posicionada sobre a camada de areia, comece a erguê-lo e vá reaterrando entre a piscina e o muro que deve terminar na altura certa para a posterior instalação do deck. Quanto mais próximo o muro ficar da parede da piscina, melhor. Consulte um engenheiro para cálculo estrutural do muro.

 

Caso o terreno seja úmido, é recomendável que seja feito um muro de contenção ao redor da piscina. Se, o terreno for muito úmido, o muro de contenção é fundamental, nesse caso, vale a pena consultar um engenheiro para maiores orientações.

9. MONTAGEM DA CASA DE MÁQUINAS

Acomodar filtro e bomba nos locais pré-determinados, marcar a furação dos canos na casa de máquinas, certificando-se que ficarão perfeitamente alinhado.

 

O conjunto de filtro e bomba deve ser dimensionado de acordo com o manual de cada fabricante, levando-se em consideração nossa tabela de volumetria. Colar canos, registros e curvas, instalar uniões na entrada e saída da moto bomba, bem como no cano que vai do filtro para a piscina, e do filtro para o esgoto.

 

As uniões têm o objetivo de facilitar futuras manutenções. Antes de colados, os canos e as conexões devem ser lixados. A casa de máquinas e os canos também devem ser lixados e laminados em três etapas, esperando secar entre uma e outra de mão.

Elétrica: deve seguir as orientações do fabricante do motor, sugerimos a utilização de uma caixa fechada para acomodar disjuntores e uma tomada.

Hidráulica: os canos que ligam a piscina a casa de máquinas devem estar apoiados no solo natural, e não sobre o aterro. Solo não compactado pode ceder, isso pode causar a quebra das curvas que ficam nas extremidades dos canos, além de forçar os dispositivos laminados na piscina, deformando e rachando o tanque. Se for necessário use blocos, pedras ou tijolos para calçar os canos, a cada 3m.

10. CALÇADA

O revestimento ao redor da piscina só deve ser feito após o solo estar totalmente compactado, lembrando que é proibido a utilização de equipamentos para acelerar esse processo (socadores). Quem define a hora certa de fazer a calçada é o engenheiro, ou, o construtor responsável pelo trabalho.

 

Mesmo que a calçada fique no nível do terreno, a piscina deve ser sempre o ponto mais alto. É importantíssimo que a água da chuva escoe da piscina para fora e nunca ao contrário, por isso o ideal é que o piso tenha um caimento de 3%, conforme ilustração abaixo.

Se a piscina ficar mais baixa, acaba virando o ralo de todo o pátio e com certeza, em pouco tempo, estará deformada, desnivelada, e, em casos extremos, quebrada. Isso ocorre devido a pressão causada pela infiltração da água, por esse mesmo motivo, telhados próximos a piscina devem possuir calhas.

11. RECOMENDAÇÕES

A piscina não pode sofrer pancadas ou batidas, tenha muito cuidado ao transpor obstáculos como muros, por exemplo, e durante o reaterro.

 

Resíduos de soldas, cortes ou lixação em metais não podem entrar em contato com a piscina, bem como pregos, parafusos, moedas, tampinhas de garrafas etc., não podem ficar dentro da água, porque vão enferrujar e manchar a piscina.

ATENÇÃO:

O manual de instalação acima é a forma que a PAMPA Piscinas recomenda a instalação de suas piscinas, não significa que esta seja a única forma correta, de se fazer instalação de piscinas de fibra, e sim, a maneira sugerida pela fábrica, variações nos matérias e pequenas alterações nos processos são perfeitamente toleráveis.